segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

UNICIDADE DO AMOR NOSSA ALMA GÊMEAS...

Unicidade do amor nossa alma gêmeas...
A-M-O-R, tão pequena palavra e tão única, porém de grande efeito;
Muitos que passaram por esse mundo sonharam sentir esse tão perfeito sentimento;
Alguns viveram uma grande história, outros apenas sonharam...
Esse sentimento tão cobiçado e que causa muita curiosidade aos cientistas em saber quais os efeitos e como se origina;
Quando temos o privilégio de encontrar o grande amor de nossa vida devemos segurar, ele aparece de forma tão inesperada que às vezes não temos discernimento de identifica-lo, principalmente quando estamos em uma situação complicada;
Com isso muitas pessoas perderam seus amores que estiveram ali bem próximas e não perceberam, morreram aguardando esse dia chegar;
O amor a nossa alma gêmea é tão única, que quando perdemos jamais encontramos algo similar;
Não precisamos procurar vem até nós, apenas devemos ter sabedoria para ver que é pra sempre;
Nossas almas gêmeas nos completa tanto que o resto do mundo se torna tão insignificante para nós, esse amor é o que nos satisfaz completamente chegando ao ápice da transcendência, pois é sentir divindade de Deus tão real em nós;
Se um dia você tiver o privilégio de encontrar segura, pois nunca mais terá outro igual;
Sorte daqueles que tem a oportunidade de ter sua alma gêmea seu grande amor mesmo que um minuto, pois isso vale a eternidade...
Deixarei uma linda história de um autor desconhecido para reflexão da preciosidade do AMOR
MENSAGEM: A CEGUEIRA DO AMOR
Contam que certa vez todos os sentimentos e qualidades dos homens se reuniram em algum lugar da terra.
Quando o ABORRECIENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre tão louca, lhe propôs:
- Vamos brincar de esconde-esconde?
A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada,
E a CURIOSIDADE sem poder conter-se perguntou:
Esconde-esconde?  Como é isso?
- É um jogo, explicou a LOUCURA, em que eu fecho os olhos, conto até um milhão, enquanto vocês se escondem; quando eu terminar de contar começo a procura-los, e o primeiro que eu encontrar ocupa o meu lugar no jogo.
O ENTUSIASMO dançou, seguido pela EUFORIA. A ALEGRIA deu tantos saltos que acabou convencendo a DÚVIDA  e até a APATIA, que nunca se interessavam por nada.
Mas nem todos participaram; a VERDADE preferiu não se esconder.
- Para que se no final todos me descobrem? Pensou a VERDADE.
A soberba opinou que era um jogo muito tolo (no fundo o que incomodava era a ideia que não tinha sido dela) e a COVARDIA preferiu não se arriscar.
- Um, dois, três... Começou a contar a LOUCURA.
A primeira a se esconder foi a PRESSA que, como sempre caiu atrás da primeira pedra do caminho.
A FÉ subiu ao céu e a INVEJA se escondeu atrás da sombra do TRIUNFO, que com seu próprio esforço tinha conseguido subir na copa da mais alta árvore.
A GENEROSIDADE quase não conseguiu se esconder, pois cada local que achava lhe parecia maravilhoso para alguns de seus amigos, ao contrário do EGOÍSMO, que encontrou um ótimo lugar só pra ele.
A MENTIRA se escondeu no fundo do oceano (MENTIRA! Foi atrás do ARCOÍRIS).
O ESQUECIMENTO, não me recorda onde se escondeu...
Quando a LOUCURA estava lá pelo 999.999, o AMOR ainda não havia encontrado lugar para esconder, pois todos estavam ocupados. Até que encontrou um roseiral e decidiu ocultar-se entre as rosas.
- Um milhão! Terminou de contar a LOUCURA e começou a busca.
A primeira a aparecer foi a PRESSA, apenas três passos de uma pedra.
Depois escutou a FÉ discutindo com Deus sobre Zoologia.
Em um descuido encontrou a INVEJA e, claro pode deduzir onde estava o TRIUNFO.
O EGOÍSMO não precisou ser procurado, saiu correndo de seu esconderijo,
Que era um ninho de vespas.
A DÚVIDA foi mais fácil ainda, encontrou-a sentada em uma cerca sem decidir que lado esconder...
E assim foi encontrado a todos:
O TALENTO nas ervas frescas; a ANGÚSTIA, em uma cova escura...
Apenas o AMOR não aparecia.
Quando a LOUCURA estava dando-se por vencida, encontrou um roseiral, pegou uma forquilha e começou a mover os ramos.
No mesmo instante ouviu-se um doloroso grito.
Os espinhos tinham ferido o AMOR nos olhos.
A LOUCURA não sabia o que fazer para desculpar-se;
Chorou, orou, implorou e até prometeu ser seu guia.
Desde então o AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha.
Cada ser humano tem suas diferenças, releia e veja em qual sentimento tu se identifica...                       

AUTOR DESCONHECIDO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua colaboração *****